Poetas Del Mundo Poets of the world
Our Poets & Artists Talented, Credentialed & Creative
Our Readers A wide diverse audience
Help & Support Call us: +56 9 8811 6084
0 0
Isilda Nunes

Isilda Nunes


Nationality: Portugal
Email: isildanunesescritora@gmail.com

Biography

Isilda Nunes é uma escritora e artista plástica portuguesa premiada no seu país e no estrangeiro com dezenas de prémios e reconhecimentos
Os seus poemas já foram publicados em antologias, revistas e jornais em cerca de cinquenta países e traduzidos em mais de quarenta línguas. É coautora de cerca de sessenta antologias nacionais e internacionais e autora de livros de poesia e prosa. Participou e organizou numerosos eventos culturais, literários e de solidariedade. 

É Presidente e Fundadora da UMEA (Associação da União Mundial de Escritores e Artistas; Chairperson do Comité Linguagem, Literatura e Arte Oratória de Modern Pythian Games; Presidente Pythian Games-Portugal; Presidente da “Unión Continental Ciesart y Consejo de la Presidencia”; Diretora Geral dos Assessores da Ciesart; Presidente da Cámara Internacional de Escritores & Artistas em Portugal; Membro do Conselho de Administração da Editorial Atunis; Membro Titular da Academia LIK - Literatura, Artes, Comunicações; Embaixadora da revista literária internacional multilingue The Archer; Editora de Língua Portuguesa na Revista “Archer” em Bangladesh (Revista Literária e Artística Multilingue); Vice-Presidente do Conselho Fiscal MEL (Mulheres Empreendedoras da Lusofonia); Consultora Internacional da Revista China Poetry Garden; Consultora Internacional da Revista "China Poetry Garden"; Cronista na Revista Helicayenne; Embaixadora da Paz e Humanidade IFCH Marrocos “International Forum for Creativity and Humanity IFCH Morocco”; Editora Associada Chinese Poetry Circle Magazine; Editora Associada na Chinese Poetry Circle magazine University, Chongqing. China; Membro Honorário de Movimento Internacional Lusófono MIL; Membro Honorário da ALDCI (Associação Lusófona para o Desenvolvimento, Cultura e Integração) -ONGD; Membro do Conselho Consultivo da Patripove; Lírio Mor Cultura Internacional MLA no Movimento Lírio Azul; Membro do Comité Organizador de “World Festival of Poetry” em Portugal; Membro de “World Nations Writers Union” WNWU; Membro Honorário no Círculo de Escritores Moçambicanos na Diáspora; Secretária do Conselho Fiscal na empresa Secretária do Conselho Fiscal na Associação "GRE As Tricanas Poveiras"; Delegada da Região Minho no Projeto Solidário "Ser Mulher". Foi Embaixadora Honorária de "World Poets Federation" de 2021 a 2022 de março. Presidente Executiva Mundial Colegiada da Unión Hispanomundial de Escritores (março de 2021 a julho de 2022); Presidente da delegação da UHE em Portugal (2020 a agosto de 2022 e Embaixadora Mundial da (UHE)" (2020 a agosto de 2022).

Prémios e Reconhecimentos: 1º Prémio de Poesia (Gold Award Aristotle 2022) no Festival Internacional de Naoussa/Grécia; Gloria Grand Prix 2022 na Modalidade Vídeo/Poesia (setembro 2022); ARTE-MARATHON– POESIA DO MUNDO (setembro 2022); LIK Académicos LIC, classe Prima, em literatura com elevado nível artístico e trabalho educativo e caritativo ativo nos projetos da academia e da Commonwealth da Glória (setembro 2022); "30 Shining Stars in the World" (setembro 2022); "Prémio Natalício Andrés Eloy Blanco Meaño" (agosto de 2022); Reconhecimento "NELSON MANDELA 2022" (julho de 2022); Prémio Literário Internacional "Franz Kafka" para 2022; Prémio Kazi Nazrul Islam (junho de 2022); “Prémio César Vallejo” Excelência Artística (2022); Prémio internacional Machu Picchu 2022; "El premio internacional de literatura y arte de Miguel de Cervantes" (maio de 2022); Prémio “The Best Medal in the World” Marrocos (16 de maio de 2022); Honorary Doctorate (International Forum of Creativity and Humanity Morocco and the Arabic International Network Media Lebanon); Prémio Universal (Poesia Pacifista); "High Honorary Degree Certificate" (Rooka Fazza Global Forum for Culture and Peace); Prémio Universal Poesia por Birland (Equador); "Honorary Doctorate" pelos seus esforços na difusão da cultura, literatura, artes e preservação dos direitos humanos (Academy of Whispers and Thoughts for Arab); "International Honorary Doctorate" pelos esforços na difusão da paz, da fraternidade e dos valores humanos entre todas os sectores da sociedade e no mundo (Academy of Whispers and Thoughts for Arab); "Honorary Doctorate" (Red Mundial de Organizaciones de los Derechos Humanos); "Certificate de Recognition" for Humanity and Cultural Excellence (FCHD); Prémio "Huang Yazhou" 4º Festival Internacional de Poesia 2021 (China); Prémio "Mihai Eminescu 2022"(Itália); "Premio Latinoamericano a la Difusión Educativa, Literária y Cultural 2021" (Academia Latinoamericana de Literatura Moderna e à Sociedade Académica de Historiadores (México);"Diamond Duke Winner" (Golden Masters of Odessa) (Ucrânia); Galardão "Especial Lusofonia 2021 (Portugal); Prémio "Nichita Stãnescu 2021" (Itália); Prémio "Huang Yazhou" 4º Festival Internacional de Poesia 2021 (China);"Escudo de Plata 2021"; “The Golden Award Mediterranean Journal Frees Pen ”2021 ; “Premi ad Maiora 2021 (Itália) Prémio Mundial; Prémio Mundial "Águila de Oro 2021" à Excelência Literária; "Águila de Oro 2021" à Excelência Artística; Galardão de Literatura "Grito de Mujer Lisboa 2021"(Portugal; “Prémio César Vallejo” Excelência Literária (2020); Prémio Mundial Intercontinental de Poesia "Kairat Duissenov Parman"2020

NA CIDADE MORTA

Na cidade morta,

à cruz da indiferença,

desaguam sonhos em crematórios líquidos.

A loucura decretada passeia

desejos naufragados,

em passadiços comuns.

Na cidade morta,

a fome, à sede, invade hospícios.

fantasmas brincam às crianças

e velhos emborcam infâncias.

Emigraram os abraços.

Já não há pontes para atravessar a noite.

Há vendas neste rio,

dor neste navio.

Caronte fuma um cigarro na vala principal.

Simplesmente apagão.

Simplesmente silêncio.

Somente sepulcro

na cidade morta.

E eu?

E tu?

E nós?

CONVOQUE-SE OS DEUSES

Convoque-se os deuses!

Na morosidade incongruente blasfemam os astros.

O cosmos em desalinho exsuda vocábulos

que vogam nas interjeições subjetivas do nada.

Nos interstícios dos sonhos

pulsam os desejos em catarse bulímica

E no parto alquímico a obra nasce.

 

AS ROSAS MURCHARAM

As rosas murcharam na secura do teu olhar!

Já não as sonho, amor! Já não as choro!

Nossos corpos que outrora foram um só,

Hoje naufragam na solidão das palavras por dizer.

Envolvo-me num sentir, entremeado de saudade e letargia,

Fixando o velho relógio parado, num tempo que já foi nosso…

Num tempo em que nos amávamos como mar e céu.

E petrifico-me nesse horizonte,

onde meu corpo feito barco fez ancoradouro.

 

A realidade enlouquece-me!

Enlouquece-me o eco dos teus passos nas paredes nuas,

esse adeus implícito no nervosismo das tuas mãos

e na flacidez do teu querer!

Perturba-me a lenta chegada do inverno!

 

As rosas que me deste já murcharam!

Os beijos molhados de outrora, hoje pecam de aridez!

Esgotaram-se os afagos!

E os sulcos do meu rosto transpiram gastas memórias,

retalhos soltos de uma história que nossa, já não é.

A boca secou na recusa da despedida,

nessa morte adiada, suspensa na solidão das palavras por dizer!

Já não sonho amor! Já não choro!

As rosas murcharam na secura do teu olhar!

No record found.
No record found.
No record found.
Comments