Poetas Del Mundo Poets of the world
Our Poets & Artists Talented, Credentialed & Creative
Our Readers A wide diverse audience
Help & Support Call us: +56 9 8811 6084
0 0
Diney Marques

Diney Marques


Nationality: Brasil
Email: marquesdiney@hotmail.com

Biography

Diney Marques

Sou da cidade de Araguari e desde meus quinze anos tive minhas aptidões pela literatura já escrevendo alguns textos, porém, só fui expor meus trabalhos há uns quinze anos atrás. Tenho várias premiações em concursos literários pelo Brasil. Um livro editado e quatro prontos a serem editados..." A MANSÃO ABANDONADA" se encontra editado na AMAZON.
Remeto a vocês alguns trabalhos já premiados em alguns concursos literários.

 

"SONHOS DE UM MOLEQUE"

Chispa a bola pelo chão batido

pernas se entrelaçam em sua busca

 corre ela sorrateira

de pé em pé

um diz uma asneira

é o moleque safado

do pé desprovido da sua chuteira.

Bola fora...

Quem bate agora?!

É o moleque

que debandou-se de seu barraco

corrompido pela magia de couro

que imagina um dia

erguer a sua copa de ouro

coberto de louros.

Correria total

frenesi de quem galga o clímax

é o gozo geral.

Abraços entrelaço

lágrimas de prazer

é o moleque safado

correndo dentro agora do Maracanã

com as benditas de Iansã.

É o clamor ao seu nome.

Moleque safado

do sonho realizado.

É gooooooooool

Diney Marques

 

FERROLHOS DA MEMÓRIA

Destravei o ferrolho da memória

valsei nas asas do passado

bati às portas das saudades

que hoje em meus olhos escorrem.

Sinto com  se hoje o fora

seu ofegar frenético em meu peito

sua tez nua e pura

sussurrando ao meu ouvido

o seu beijo um tanto molhado

como se no meus lábios fossem talhados.

Lembranças tatuadas no peito

que o tempo não deletam

marcas profundas de meu flagelo

sentimentos que me afetam.

Seu corpo amoldado ao meu

pulsando forte na alma

tento apalpar com a memória

sentindo o reviver de uma historia.

Seus cabelos a cascatear pelo rosto

o perfume deslizando na brisa

ainda sinto-o agora

paixão que me atiça.

Fecham-se as janelas

tranco as amarguras,

findam-se os sonhos

encerro as nostalgias.

 

No record found.
No record found.
No record found.
Comments