Poetas Del Mundo Poets of the world
Our Poets & Artists Talented, Credentialed & Creative
Our Readers A wide diverse audience
Help & Support Call us: +56 9 8811 6084
Premium Members 0 0
Maria Cleide  da Silva Cardoso Pereira

Maria Cleide da Silva Cardoso Pereira


Nationality: Brasil
Email: mariacleidescpereira@gmail.com

Biography
A Revolução Necessária

Precisa-se de pessoas corajosas
Que ousem mudar o rumo da História
Que possam acabar com o capitalismo
Que acabem, de uma vez por todas, com tantos desperdícios
Que não sejam vítimas do consumismo
Que não sejam espectadores omissos
Que não produzam montanhas de lixo

Precisa-se de pessoas generosas
Que não apenas vejam, mas que escrevam a História
Com ação/reflexão/ação
Na qual a práxis vem do coração
Que tenham amor pela vida em toda a sua plenitude
Que tenham altruísmo e solidariedade por virtudes
Que façam com que os corações e mentes mudem

Precisa-se de pessoas conscientes
A História não é um processo inconseqüente
O que fizermos ao nosso planeta e aos nossos irmãos
Não ficará impune, teremos de volta cada agressão
Seremos vítimas de nossos próprios erros
Teremos a sensação de nunca acordar de um pesadelo
Por isso, chegou a hora de manifestarmos a nossa indignação

Precisa-se de revolucionários e de revolucionárias
Pessoas corajosas, generosas, conscientes e igualitárias
Que saibam buscar os seus ideais e realizar o que acreditam
Que não usam armas para superar os conflitos
Que vencem o mal pela prática do bem
Que não estimulam a violência, que não levam sofrimento a ninguém
Esta é a nossa hora, temos de pensar nos que ainda vêm

Precisamos de um mundo melhor e mais bonito
Esta é a melhor herança para entregar aos nossos filhos
Por todas as gerações, por tudo o que vemos
E, também, pelo que ainda não percebemos
Irmãos, irmãs, juntos venceremos!
Vamos dar início à revolução:
Chegou a hora de lutar contra a dominação!

Contra aqueles que pensam que tempo é dinheiro
Contra aqueles que pensam controlar o mundo inteiro
Contra aqueles que nada fazem por seus irmãos
Contra aqueles que pensam ser 'os eleitos' e promovem a discriminação
Contra aqueles que buscam o poder para manipular as pessoas
Contra aqueles que 'tiram vantagem de tudo' e só querem 'vida boa'
Contra o egoísmo, a ganância, a cobiça, a vaidade

Basta! Chegou a hora de sermos livres de verdade!
Liberdade de ser o que somos contemplando a unidade
É respeitar o nosso mundo, a nossa identidade
Sabendo vivenciar a diversidade
É saber que somos diferentes, mas não somos desiguais
É saber que todas as guerras foram vencidas pela PAZ
E que o tempo é vida e que ele não volta atrás

Este é o momento de mudar a trajetória
De despertar as consciências para mudarmos a História
Chega de omissão, preconceito e violência
Chega de injustiça, de medo, de carência
Eliminando a causa não haverá mais conseqüências
Somos a resposta, somos a solução
O futuro da humanidade está em nossas mãos

Quero socializar contigo este pensamento
Para que, juntos, possamos iniciar o movimento
Em busca da Revolução da Paz
Que possa vencer o mal e as conseqüências que ele traz
Que nos liberte do egoísmo
Que nos liberte do determinismo
Pois, a História, é a gente que faz.

O dinheiro é apenas um papel
Que é amargo como o fel
Quando é usado para escravizar os corações e mentes
Gerando pessoas eternamente descontentes
Que buscam TER e não SER
Que são reduzidas a marcas e produtos
E esquecem que, das sementes, é que vêm os frutos

Vem minha amiga, vem meu amigo,
Sonha este sonho comigo!
Juntos, o transformaremos em realidade
E descobriremos a verdadeira felicidade!
Não haverá dominantes nem dominados
Seremos sujeitos emancipados
Saberemos amar e ser amados

Justiça, paz, liberdade
Amor, esperança, eqüidade
Não serão apenas palavras em um dicionário
E sim o lema de cada revolucionária e revolucionário
Serão os princípios da nova sociedade
Abrirão caminhos para novas possibilidades
Nos conduzirão à verdadeira liberdade

Autora: Maria Cleide da Silva Cardoso Pereira

Lágrimas de Luz

As lágrimas são puras
Elas brotam da verdade
Como as estrelas na noite escura

As lágrimas são quentes
Elas derretem a frieza
Dos corações indiferentes

As lágrimas são salgadas
Porque somos o sal da terra
Em nossa divina jornada

As lágrimas nutrem nossos sentimentos
Como o orvalho singelo
Que torna o solo acolhedor e sereno

As lágrimas destroem as máscaras
Que a vaidade nos impõe
Nesse mundo de ilusões e farsas

As lágrimas são humildes e serenas
Reconhecem que são gotas
Não importa se são pequenas

As lágrimas são generosas
Sabem compartilhar alegrias e tristezas
Com os olhos à nossa volta

As lágrimas são iguais
Não importam as diferenças
No momento em que elas caem

Elas brincam em meu rosto
Na felicidade ou na tristeza
Libertam-me dos desgostos
Libertam-me das incertezas

São o sangue do Cordeiro
A escorrer pela Cruz
Bem aventurados os que choram
As lágrimas vêm de Jesus.

Autora: Maria Cleide da Silva Cardoso Pereira

Revolução da Paz

Nos tempos em que vivemos
O amor está a esfriar.
Mas em meu coração, humilde e sereno,
Há uma chama que não se apagará.
É uma vontade infinita
Que apenas o amor realiza.
Algo de melhor nos espera:
Buscamos a Paz para vencer todas as guerras.
Trazemos em nós a verdade
E ela nos conduz à liberdade.
Não podemos viver na ilusão:
A Terra pede uma nova canção.
Revolucionários é o que somos:
Revolucionários da Paz.
Revolucionar é concretizar sonhos.
O amor não se desfaz.
Irmão, irmã, a hora chegou!
Nos céus, a esperança brilhou.
Jesus Cristo nos uniu.
Em nome do amor, a Paz surgiu.
Amor incondicional, como nunca se viu
O Amor manso e humilde, que a todos serviu.
Una-se a esta :
Vamos construir a História!
Um mundo com alma de poeta
Onde a Paz é a vitória.

autora: Maria Cleide da Silva Cardoso Pereira

biografia:
Maria Cleide da Silva Cardoso Pereira

Nascida em 17 de fevereiro de 1980, Maria Cleide da Silva Cardoso Pereira demonstrou interesse pelas artes desde cedo: adorava desenhar, escrever e tocar o pianinho de armário,um presente que ganhou do avô quando pequena. Os primeiros versos, ainda na infância, foram dedicados à sua mãe. Já na adolescência, passou a se interessar por temas sociais e passou a compor suas primeiras canções. Em 1994 compôs as primeiras músicas. Em 1999, atuou como atriz e produtora musical no espetáculo infantil 'O Papagaio de volta para casa', no qual interpretou dois papéis além de ter criado músicas exclusivas para a peça; na época, seu nome artístico era Dinha Cardoso. Em 2000, iniciou o curso de Letras na Universidade Federal do Pará. Participou ativamente da vida acadêmica: ministrou oficinas e cursos bem participou de formações continuadas e cursos de capacitação na área de Educação. Em Entre 2005 e 2006, participou do projeto Multicampiartes, da Universidade Federal do Pará, como ministrante da oficina de Literatura. Ao fim de 2006, iniciou o MBA em Gestão de Pessoas pela Faculdade Ideal. Já em 2007, abraçou o desafio de se tornar professora no Sistema Penitenciário e quebrar velhos paradigmas e destruir os rótulos preconceituosos em relação aos homens e mulheres privados de liberdade. Atualmente,trabalha em cinco penitenciárias lecionando Língua Portuguesa para as turmas de 3a e 4a etapas do Ensino Fundamental e 1a e 2a eatpas do Ensino Médio. Também atua nas brinquedotecas, junto aos filhos e filhas das pessoas privadas de liberdade, interagindo com as crianças por meio do teatro de bonecos. 'A Professorinha', como seus alunos e alunas a chamam carinhosamente, criou a personagem Beijoca bem como sua turma para animar as visitas das crianças. Hoje, graduada em Letras e pós-graduada em Gestão de Pessoas, Maria Cleide segue na vida acadêmica cursando a Especilização em Educação de Jovens e Adultos, PROEJA, que articula a Educação Básica à Educação Profissionalizante, no Centro de Educação Tecnológica do Pará.

mariacleide.pereira@bol.com.br
No record found.
No record found.
No record found.
Comments