s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Haroldo Barbosa Filho
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
haroldo_bf@hotmail.com
Biografia

Haroldo Barbosa Filho

Cónsul - Sao  José dos Campos - Brasil

Natural de Jardinópolis - SP e atualmente residindo em São José dos Campos - SP, Haroldo Barbosa Filho tem 53 anos, é jornalista e redator publicitário. Estudou Comunicação Social na FAAP - SP.

Como escritor e poeta, publicou as seguintes obras:

• "Milagres acontecem" e "Se eu consigo, você consegue" – obras de espiritualidade e sociologia – pela Editora Vozes (2004).

• "Um anjo no Paraíso" – romance histórico e biográfico sobre a vida de São José de Anchieta e sua participação na história do Brasil Colônia (Século XVI) – por Edições Loyola (2009).

• "Yamiuna" – romance juvenil – pela Editora Cuore (2011).

• "Caminhos" – obra de sociologia – publicação da Prefeitura de São José dos Campos (2011).

Também participa com poemas nas coletâneas:

• "Mulher&Ponto e Homem&Ponto" – Editora Litteris (2014).

• "Diário do Escritor 2015" – Editora Litteris.

• É vencedor do V Prêmio Canon de Literatura, com poema publicado em coletânea pela Editora Scortecci (2012).

Títulos:

• Companheiro Paul Harris - comenda concedida pelo Rotary Club de Arujá (2003).
• Membro da Academia de Letras do Brasil / Seccional Araraquara, ocupando a cadeira 42 (2014).
• Comenda Casimiro de Abreu, concedido pela organização Poesia é Arte, de Casimiro de Abreu - RJ (2014).

Contato:

• https://meuvale.wordpress.com 
• E-mail: haroldo_bf@hotmail.com

 

UM LUGAR


Há momentos em que desejo ir para um lugar
que tenha uma porta só, com chave no lado de dentro
e, lá fora, todos os descaminhos.

Um lugar nem grande, nem pequeno,
mas com tamanho suficiente para guardar meu jeito.

Um cantinho sem luxo, nem lixo,
só chão, teto, um vão para olhar a vida
e uma chaminé para libertar o perdão e expurgar todo o malfeito.

É preciso ter também duas paredes para puxar e vergar,
até juntar os lados e produzir uma dobra no espaço.

E um relógio que goste de cruzar os ponteiros,
correndo os números do fim para o começo
e, a cada novo momento, trocando um abraço.

Que seja castelo de um cômodo só, num mundo sem reino,
em que minhas alegrias sejam reais e os choros, fantasias.

Um remanso onde o Sol beije a Lua, e esta enrubesça,
e eles resolvam ficar juntos numa eterna tardinha,
sem mais manhãs de neblina, nem noites frias.

Um reduto para gritar minhas verdades nascentes
e silenciar minhas ignorâncias tardias.

 

________________________________

 

LEMBRETE


O poeta vive para lembrar.
Lembrar que é preciso viver.
E viver é dar cor.
Mesmo ao mundo
cinza dos esquecidos,
que só ouvem
seus próprios gemidos.

 

________________________________

 

Realidade


Faço poesia que leve a outras realidades,
As não vividas, as sonhadas mesmo sem querer.
Falo à parte da alma que transcende a matéria
E atinge a imensidão atemporal e receptiva do universo.
Pois se versejasse sobre a vida como ela é
Seriam linhas de desesperança, solidão e morte.

 

 

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s