s
s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Tonni Lima
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia

\'Epilogo\'

Só o tempo, senhor das razões
Cobiçoso alheio da felicidade
Escancarando nossos maiores medos
Demonstrando verdadeiros erros
Desposa ao homem, ossadas de mediocridade

Afinal o que é o homem, se não maldade?

Só o tempo, impiedoso carrasco
Que nos faz sentir dores de perdas
O mesmo que ontem me presenteava
Alegria, luz e fogo de chegada...
É só lamento e vento, hoje, de partida, tristeza.

Ah, mais uma coisa tempo, não lhe darei ainda
Nem mesmo quando a morte, que um dia vinda
O prazer da paixão maior, tantas vividas
Nos lábios do maior amor da minha vida

Nem o sabor, sinta tempo, inveja
Darás a ele, com outros, o prazer que eu tive
O cheiro dos desejos e prazeres agatanhado
Cristal, Casto veneno de bebida
Promessas hoje desse amor negado...
Da felicidade, inda ontem vivida...

Ah tempo dos desejos, maldito sejas
Por não ser eterno o tempo que nos deste
Por não ter aqui, mesmo por um pouco perto
Mentirosos lábios flamejados que me sussurravam:
Serei pra sempre teu, e mais um pouco teu... Eterno.
Mas afinal o que é o tempo
Se não um réu?

\'Soneto Para Cati\'

Sonhei que escrevias,
Não escritas abertas
Nem fechadas entre as linhas
Eram sonetos vulgares,
Tais quais nossas vãs vidas...

E discernias, atropelavas
com sorrisos, tolo, mas sorrias
Das palavras formadas aos poucos
Atiradas sobre o que lias...

E assim passaram momentos
Passaram outonos, invernos e vidas
Só não passaram, nem passa
Das linhas que entrevias
Tuas escritas fantásticas
Sobre quem? Você e a vida?

Vá, C ati querida, viva...
Viva novas utopias
De todas tantas historias
As mais marcadas, sentidas
Reescreva, revise e releia
Não pense, crie, almeje,
Mas viva..

\'Aceitação\'

Lembra a primavera que nos consumia?
Todos os amores da paixão de um dia
Quando, ainda cheios de sabores
Brindávamos tua chegada nesse porto ilha...

E todos os dias era festa o dia
Quando tardas noites nos fartava linda
Teu sorriso, mas claro que a lua vinha
Acariciar-me, e tanto fazia
Dia e noite, noite e dia...

Porque, pergunto procuro e não vejo
As fadas malditas que nos enlouqueceram
Transformando os dias que tanto brindamos
Em não ser mais os mesmos, não são mais os mesmos...

Porque, te pergunta, aos prantos, meu coração
Sufoca e não quer ouvir tuas verdades
Mas qual verdade agora supriria
Aquela primavera que nos consumia?

Rogar aquém pela tua volta
Maldizer o que por tua partida
Nem mais primavera sentirei agora
Só eterno outono farão companhia
Dia e noite, noite e dia
Onde esta a lua, onde esta a vida?

biografia:
Tonni Lima
.
Escritor, Romancista, Contista, Cronista cultural, Dramaturgo, Presidente da Oficial Academia Tijuquense de Letras da cidade de Tijucas SC Brasil. Atialmente é diretor de eventos culturais da fundação cultural de Tijucas. Tem tres livros lançados: \'Vidas Breves de Contos MAlditos\' em bilinguie PORT/ESP, LAnçado em Buenos Aires Argentina em 2006. Um nfantil \'A Menina que queria ter Asas\' e um Ensaio sobre a poetisa Erody F. V de Lima, \'Versos de dona Didi\' lançado recentemente em São Paulo.

tonnilimma@gmail.com

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s