s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Marilene Ferreira de Oliveira
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia
VITORIOSA

Hoje quando eu abri minha janela
deparei-me com uma formosa cena
desabrochando, uma flor to singela
mostrou-me que viver vale a pena

Vendavais e tempestades enfrentou
O seu talo por pouco no se partiu
Noites de frio, calor intenso passou
Tudo isso e a singela flor no desistiu

Hoje quando eu abri minha janela
e vislumbrei a cena to maravilhosa
com aquela flor singela, to mimosa

Percebi que viver uma eterna labuta
muito esforo, muito suor; dura labuta
para se sair dela como uma vitoriosa

[Lena Ferreira]


SERENA MULHER


Serena, sim...Mulher!
Mas no mirar-me-ei no exemplo
daquelas mulheres de Atenas...
Aquelas tais que, passveis, aguardavam
Os maridos retornarem da guerra, aos pedaos

Lavava-lhes as feridas expostas, secando
Cada parte com suas melenas e perfumavam
Com o mais puro nardo os seus corpos viris
Que mais tarde, serviriam de portos inseguros
s Afrodites personificadas em serviais

Sirena, sim!
Mas no permitirei que no meu mar
Navegue uns barcos sem rumo certeiro
Sem leme, sem proa, e casco avariado, no!
Em mim, navegaro tantos os quantos forem precisos
E eu entre tantos escolherei o mais que preciso
No para aplacar minhas precisas indecises

que descobri que me basto e mesmo em queda,
Voarei com asas prprias, posto que so meus braos nus
E mesmo que corra o risco de afogamento iminente
No Mar Icrio de meu destino, quem comigo quiser navegar ou voar ou sonhar
Deve comungar o mesmo sentimento...Serena, sim...Mulher!

[Lena Ferreira]

VO

No vo
entre o sculo
e o amplexo
existe um mar
tempestuoso
com nuvens
que denunciam
o que no tem nexo

No vo
entre o sculo
e o amplexo
existe um poo
profundo
capaz de engolir
o mundo

No vo
entre o sculo
e o amplexo

No vo
entre o sculo
e o amplexo
entre o sculo
e o amplexo

Vo...

[Lena Ferreira]


Biografa:
Marilene Ferreira de Oliveira
, assina suas poesias como Lena Ferreira, carioca, nascida em 08/07/68,
Mora no bairro de Piedade, no Rio de Janeiro, RJ.
Comeou a escrever como catarse para aliviar o cansao da alma.
a sua prpria em 16 de maio de 2009, pequena ainda SERENISSIMA mas
aconchegante recanto de troca potica.
Preza a harmonia e sinceridade e viciada em rimas, embora tambm
verse nos livres, onde dizem ser mais eficiente..
Participou da Antologia da Poemas flor da pele vai participar a convite em Agosto de uma Antologia da editora Literis
Poetas da rede...atravs de concurso.


http://recantodasletras.uol.com.br/autores/lenacosta
www.serenissima-lenaferreira.blogspot.com

serenissimarilene@gmail.com

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s