s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Maria Cleide da Silva Cardoso Pereira
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia
A Revoluo Necessria

Precisa-se de pessoas corajosas
Que ousem mudar o rumo da Histria
Que possam acabar com o capitalismo
Que acabem, de uma vez por todas, com tantos desperdcios
Que no sejam vtimas do consumismo
Que no sejam espectadores omissos
Que no produzam montanhas de lixo

Precisa-se de pessoas generosas
Que no apenas vejam, mas que escrevam a Histria
Com ao/reflexo/ao
Na qual a prxis vem do corao
Que tenham amor pela vida em toda a sua plenitude
Que tenham altrusmo e solidariedade por virtudes
Que faam com que os coraes e mentes mudem

Precisa-se de pessoas conscientes
A Histria no um processo inconseqente
O que fizermos ao nosso planeta e aos nossos irmos
No ficar impune, teremos de volta cada agresso
Seremos vtimas de nossos prprios erros
Teremos a sensao de nunca acordar de um pesadelo
Por isso, chegou a hora de manifestarmos a nossa indignao

Precisa-se de revolucionrios e de revolucionrias
Pessoas corajosas, generosas, conscientes e igualitrias
Que saibam buscar os seus ideais e realizar o que acreditam
Que no usam armas para superar os conflitos
Que vencem o mal pela prtica do bem
Que no estimulam a violncia, que no levam sofrimento a ningum
Esta a nossa hora, temos de pensar nos que ainda vm

Precisamos de um mundo melhor e mais bonito
Esta a melhor herana para entregar aos nossos filhos
Por todas as geraes, por tudo o que vemos
E, tambm, pelo que ainda no percebemos
Irmos, irms, juntos venceremos!
Vamos dar incio revoluo:
Chegou a hora de lutar contra a dominao!

Contra aqueles que pensam que tempo dinheiro
Contra aqueles que pensam controlar o mundo inteiro
Contra aqueles que nada fazem por seus irmos
Contra aqueles que pensam ser 'os eleitos' e promovem a discriminao
Contra aqueles que buscam o poder para manipular as pessoas
Contra aqueles que 'tiram vantagem de tudo' e s querem 'vida boa'
Contra o egosmo, a ganncia, a cobia, a vaidade

Basta! Chegou a hora de sermos livres de verdade!
Liberdade de ser o que somos contemplando a unidade
respeitar o nosso mundo, a nossa identidade
Sabendo vivenciar a diversidade
saber que somos diferentes, mas no somos desiguais
saber que todas as guerras foram vencidas pela PAZ
E que o tempo vida e que ele no volta atrs

Este o momento de mudar a trajetria
De despertar as conscincias para mudarmos a Histria
Chega de omisso, preconceito e violncia
Chega de injustia, de medo, de carncia
Eliminando a causa no haver mais conseqncias
Somos a resposta, somos a soluo
O futuro da humanidade est em nossas mos

Quero socializar contigo este pensamento
Para que, juntos, possamos iniciar o movimento
Em busca da Revoluo da Paz
Que possa vencer o mal e as conseqncias que ele traz
Que nos liberte do egosmo
Que nos liberte do determinismo
Pois, a Histria, a gente que faz.

O dinheiro apenas um papel
Que amargo como o fel
Quando usado para escravizar os coraes e mentes
Gerando pessoas eternamente descontentes
Que buscam TER e no SER
Que so reduzidas a marcas e produtos
E esquecem que, das sementes, que vm os frutos

Vem minha amiga, vem meu amigo,
Sonha este sonho comigo!
Juntos, o transformaremos em realidade
E descobriremos a verdadeira felicidade!
No haver dominantes nem dominados
Seremos sujeitos emancipados
Saberemos amar e ser amados

Justia, paz, liberdade
Amor, esperana, eqidade
No sero apenas palavras em um dicionrio
E sim o lema de cada revolucionria e revolucionrio
Sero os princpios da nova sociedade
Abriro caminhos para novas possibilidades
Nos conduziro verdadeira liberdade

Autora: Maria Cleide da Silva Cardoso Pereira

Lgrimas de Luz

As lgrimas so puras
Elas brotam da verdade
Como as estrelas na noite escura

As lgrimas so quentes
Elas derretem a frieza
Dos coraes indiferentes

As lgrimas so salgadas
Porque somos o sal da terra
Em nossa divina jornada

As lgrimas nutrem nossos sentimentos
Como o orvalho singelo
Que torna o solo acolhedor e sereno

As lgrimas destroem as mscaras
Que a vaidade nos impe
Nesse mundo de iluses e farsas

As lgrimas so humildes e serenas
Reconhecem que so gotas
No importa se so pequenas

As lgrimas so generosas
Sabem compartilhar alegrias e tristezas
Com os olhos nossa volta

As lgrimas so iguais
No importam as diferenas
No momento em que elas caem

Elas brincam em meu rosto
Na felicidade ou na tristeza
Libertam-me dos desgostos
Libertam-me das incertezas

So o sangue do Cordeiro
A escorrer pela Cruz
Bem aventurados os que choram
As lgrimas vm de Jesus.

Autora: Maria Cleide da Silva Cardoso Pereira

Revoluo da Paz

Nos tempos em que vivemos
O amor est a esfriar.
Mas em meu corao, humilde e sereno,
H uma chama que no se apagar.
uma vontade infinita
Que apenas o amor realiza.
Algo de melhor nos espera:
Buscamos a Paz para vencer todas as guerras.
Trazemos em ns a verdade
E ela nos conduz liberdade.
No podemos viver na iluso:
A Terra pede uma nova cano.
Revolucionrios o que somos:
Revolucionrios da Paz.
Revolucionar concretizar sonhos.
O amor no se desfaz.
Irmo, irm, a hora chegou!
Nos cus, a esperana brilhou.
Jesus Cristo nos uniu.
Em nome do amor, a Paz surgiu.
Amor incondicional, como nunca se viu
O Amor manso e humilde, que a todos serviu.
Una-se a esta :
Vamos construir a Histria!
Um mundo com alma de poeta
Onde a Paz a vitria.

autora: Maria Cleide da Silva Cardoso Pereira

biografia:
Maria Cleide da Silva Cardoso Pereira

Nascida em 17 de fevereiro de 1980, Maria Cleide da Silva Cardoso Pereira demonstrou interesse pelas artes desde cedo: adorava desenhar, escrever e tocar o pianinho de armrio,um presente que ganhou do av quando pequena. Os primeiros versos, ainda na infncia, foram dedicados sua me. J na adolescncia, passou a se interessar por temas sociais e passou a compor suas primeiras canes. Em 1994 comps as primeiras msicas. Em 1999, atuou como atriz e produtora musical no espetculo infantil 'O Papagaio de volta para casa', no qual interpretou dois papis alm de ter criado msicas exclusivas para a pea; na poca, seu nome artstico era Dinha Cardoso. Em 2000, iniciou o curso de Letras na Universidade Federal do Par. Participou ativamente da vida acadmica: ministrou oficinas e cursos bem participou de formaes continuadas e cursos de capacitao na rea de Educao. Em Entre 2005 e 2006, participou do projeto Multicampiartes, da Universidade Federal do Par, como ministrante da oficina de Literatura. Ao fim de 2006, iniciou o MBA em Gesto de Pessoas pela Faculdade Ideal. J em 2007, abraou o desafio de se tornar professora no Sistema Penitencirio e quebrar velhos paradigmas e destruir os rtulos preconceituosos em relao aos homens e mulheres privados de liberdade. Atualmente,trabalha em cinco penitencirias lecionando Lngua Portuguesa para as turmas de 3a e 4a etapas do Ensino Fundamental e 1a e 2a eatpas do Ensino Mdio. Tambm atua nas brinquedotecas, junto aos filhos e filhas das pessoas privadas de liberdade, interagindo com as crianas por meio do teatro de bonecos. 'A Professorinha', como seus alunos e alunas a chamam carinhosamente, criou a personagem Beijoca bem como sua turma para animar as visitas das crianas. Hoje, graduada em Letras e ps-graduada em Gesto de Pessoas, Maria Cleide segue na vida acadmica cursando a Especilizao em Educao de Jovens e Adultos, PROEJA, que articula a Educao Bsica Educao Profissionalizante, no Centro de Educao Tecnolgica do Par.

mariacleide.pereira@bol.com.br

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s