s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Rozelia Scheifler Rasia [Cnsul - Cruz Alta-RS]
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia
Intraconexo

Rozelia Scheifler Rasia

Na soleira do universo,
Luz, ouro em p,
Lilithy, foge do paraso.

Eva, a outra de Ado,
inferno de nix.
Duas luas espelham-se,
sol, espiral indecifrvel,
caixa de pandora.
A terra redesenha a elipse.
Ontem.

Entre o nada e o infinito,
tropel de cavalos alados.
Estaes, colheita,
rebanhos, colmias,
galope, revoada
cascatas, nuvens
guerras,
segredos, vida.
A serpente espreita.
Sempre.

Pirmide, fara
trombeta, cristal
trigo, diamante
fala dos mortos,
silncio, eco
alucinao, espectro
templo inviolvel
Corpos hermafroditas abenoam a plenitude.
Nunca.

O globo cego a girar,
O solstcio de inverno,
As tempestades do pacfico,
A magia secreta do equador,
O monge a levitar no Himalaia,
A letra, o nmero, o papel.
A palavra, a cruz,
A presena do olho que tudo v.
Eterno.

Rubi, lgrima do amanhecer
O livro, o clice
A espada, o sangue
A metfora, o paradoxo
O Lbano de Gibran
Iluso, poesia
Cabala, signo, revelao.
O desejo, a $3>morfose,
O arco-ris a escorrer pelos dedos dos anjos.
nterim.

ries, andrmeda
Smbolos, enigmas
Calendrio inca,
dcimo planeta,
cdigo gentico,
distncias, graal,
Sabedoria, insensatez.
Fragmentos desconexos.
Amanh.

O olhar da serpente seqestrou o destino.

Poesia publicada na Coletnea Entrelinhas ALPAS XXI
Editora Alcance: Porto Alegre RS / Brasil, 2002.




Todo dia santo

Rozelia Scheifler Rasia Cruz Alta RS

Todo dia santo
Anjo da guarda
Anjo do incenso
Anjo do mal

Todo dia santo
Pela lana do sol
Pelo escudo da lua
Pelo mpeto do amor.

Todo dia santo
Olhos de fogo
Boca de gua
Corpo de pedra e p

Todo dia santo
Pelo fogo
Pelo sal
Pela gua

Todo dia santo
Bem-me-quer, flor-de-liz
Areia, deserto
Cu, infinito

Todo dia santo
Verbo sacro, marca maldita
xodo, Apocalipse
Incio-fim-reincio

Todo dia santo
Por Allh
Por Deus
Por Jeovah

Poesia publicada na Coletnea Desafios ALPAS XXI Editora Berthier: Passo Fundo RS / Brasil, 2002.

O homem de terno preto*

Rozelia Scheifler Rasia

Na rua deserta, o silncio
Pesava nos tmpanos da viglia;
Nuvens estraalham-se ao tropel do vento.

janela, sobre os cotovelos, os seios dela arfavam;
As mos em cunha seguravam o sorriso;
Ele surgia na esquina.

O destino, a felicidade dela era ele.
A prole dela viria com ele.
Mais alguns passos seriam um s.

Mas, uma bala perdida,
Na desgraa de uma briga de bar,
Atravessou a camisa branca,
Tingiu-lhe de sangue o peito.

Num timo o inesperado,
O beijo na lpide fria
Enlutou os sonhos da menina,
Transformou em lgrima a mulher.


*Poesia publicada na Coletnea Palavra de Abril ALPAS XXI

Editora Berthier: Passo Fundo - RS, / Brasil, 2008

Currculo:

Rozelia Scheifler Rasia
Filha de Norbert Scheifler e Orquelita de Veluz Scheifler; nasceu em Salto do Jacu RS e reside em Cruz Alta RS, onde estudou, casou com Carlos Andr Rasia; me de Lucas e Gabriel Rasia.

Escritora; Professora de lngua e literatura portugus/ingls; Especialista em Fundamentos Terico-Metodolgicos de Ensino - UNICRUZ; Mestre em Estudos Literrios UPF; Idealizadora, fundadora e presidente da Associao Artstica e Literria A Palavra do Sculo XXI ALPASXXI; Organizadora de concursos literrios e de coletneas de poesias, contos e crnicas. Fundadora e Presidente do Banco de Intelectualidade Bandi. Membro Correspondente da Academia de Letras Rio - Cidade Maravilhosa, Rio de Janeiro/RJ.



gaya.rasia@hotmail.com

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s