s
s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Siomara Reis Teixeira [Cnsul - Boqueiro-Curitiba-PR]
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia
Quando o Poeta Nasce

Sentir-se s!
Momento derradeiro
Em que o dom grita primeiro
E a alma do poeta nasce!
Inspirao!
Papel, tinta, caneta na mo.
Nada o que parece,
Senta-se e pouco a pouco
Ela surge, a idia cresce!
Encorpa-se, se faz lrica, ldica.
como entoar uma prece
E enfim, um belo poema, aparece.

Siomara Reis Teixeira

INSANIDADE

E retraio em mim a chama acessa
Na obscuridade da imensido,
Sou tua sim, sou tua presa
Gostando assim desta paixo!

E enlao teu abrao no cansao,
Buscando a paz neste remanso
E neste amor de vida e morte me desfao,
Sorrio ao infinito e no me canso.

Voando ao vento difuso da saudade,
Insanamente sofre o corao
O amargor de nossa insanidade.

Somente um solitrio na aflio
Enlouquece pelas horas da maldade,
Querendo transformar a dor, numa cano!

Siomara Reis Teixeira

Poeta...

Que sonha, que ama, que clama
E com letras que aos poucos trama
Transforma palavras em versos
E com primazia, os chama, poesia...

Siomara Reis Teixeira

IDILIO

Teu abrao no abrao que aperta e aperta
Transportando bruscamente
Com teu corpo que se esvai continuamente
Elegendo meu corpo como porta aberta.

E abre a boca com a boca que se abre,
Com a lngua para a lngua que se suga
E no romper do esplendor e nessa fuga,
Os dois corpos no idlio como um sabre.

Embriaga com perfume esse amor
E carrega para a dana e se dana,
Num frmito ciciante com imenso ardor,
Nessa valsa longa e que nunca cansa.

E o momento de beatitude surge,
No ondular tresmalhado
Do espasmo manso,
Ao florir do sorriso que ressurge
E transcende no langor infindo, o remanso.

Siomara Reis Teixeira

Quisera Eu Ser Assim

Quisera eu ser assim,
Com a espiritualidade em mim...
E na grandiosidade dalma
Desprezar os prazeres terrenos,
Soerguer toda esta vida com calma,
Esquecer todo o profano
Lembrando somente do Ser Humano!
Quisera eu ser assim,
O doar-me sem pensar tanto em mim
E lembrar que aqui do meu lado,
No flagelo, no desamor,
Pessoas vivem com dissabor...
Quisera eu ser assim,
Receber o chamado Crstico
Aqui dentro do corao
E desempenhar um trabalho,
Que no seja somente um atalho,
Mas que sendo vigoroso, forte e pungente,
Traga a alegria a muita gente!
E nesta jornada plena de emoo
De entrega e satisfao,
Sem que haja a menor inteno,
Que seja pura, inteira, amiga, altaneira
E dar minhas mos aos meus irmos,
Nesta necessidade emergente
Que brota de dentro do meu corao!

Siomara Reis Teixeira

AMO ESTE POVO

Amo este povo
Sou terra, sou cho.
Sobre mim exercem
Fascinao!
o canto dos pssaros
Em mensagens de paz.
a vida que passa,
Homem branco voraz.
Invasores em festa!
Chora, Pacha Mama
Muito pouco lhes resta...
Os verdadeiros donos,
Destas lindas florestas.

Siomara Reis Teixeira

biografia:

Siomara de Cssia Reis Teixeira
nasceu em Unio da Vitria - PR, no dia nove de abril de 1965. Cresceu e foi educada em Porto Unio - SC, as chamadas cidades Gmeas do Iguau, rio que banha a cidade, em formato de ferradura, em vista area. Como sua famlia materna oriunda do Rio Grande do Sul, costuma dizer, com orgulho, que tem um p nos trs estados do Sul. Possui vrias descendncias, entre elas o negro, o ndio, o ucraniano, o italiano e o portugus. E fala em conversas divertidas, que faz parte do verdadeiro povo brasileiro. Vinda de uma famlia culturalmente privilegiada, com histrico de poetas, escritores e artistas plsticos, comeou sua carreira literria muito jovem, com apenas 11 anos de idade. Nesta poca j compunha fbulas no colgio onde estudava, o Colgio So Jos, em Porto Unio e, seu professor de portugus, Professor Juck, relutava em acreditar que uma menina to jovem tivesse tanta capacidade na escrita, no vocabulrio, na dissertao, na concordncia, na regncia verbal e acima de tudo, na imaginao. Sempre com sua veia artstica latente, cantou no coral da senhora Djanira Pasqualin, coral este, de crianas entre 10 a 15 anos, expressivo e famoso na poca em todo o estado do Paran e Santa Catarina. Com sua voz de contralto, ganhou vrias medalhas e apresentou-se em canais de televiso. Teve aulas de piano durante quatro anos e fez cursos de desenho e pintura. Domina a lngua inglesa e apaixonada por fotografia, tendo cursos de especializao na rea. Mas foi na poesia, inerente em seu ser sonhador, apaixonado, romntico e profundamente social e humano, que encontrou sua verdadeira identidade. Siomara costuma dizer que o poeta nasce poeta. Ele no se faz poeta. dom, maldio e acima de tudo, misso. Este seu principal jargo, tal a necessidade que tem em escrever, ' como o respirar, mesmo sem o desejar', como escreveu em uma de suas poesias. Suas poesias...Suas filhas, costuma ressaltar. Cronista, revela em seus textos, um profundo sentido humanitrio e social. Procura despertar em seus leitores a real necessidade da fraternidade, da doao, da mudana lenta e gradual do sistema financeiro e especulativo do mundo materialista. uma funo, uma obrigao de quem tem o dom da expresso, atravs da arte e consegue atingir vrias camadas sociais, enfatiza. Siomara tambm descreve com primazia o universo feminino, suas aflies, seu cotidiano, sonhos, desejos, amores, segredos, conflitos. Tem trs filhos, os quais diz serem suas prolas preciosas, suas Reais Poesias. Xamanista por convico, vive hoje em Curitiba, onde Empresria, Fisioterapeuta, Cronista, Educadora nas disciplinas de Biologia, Qumica e Fsica. Mas acima de tudo e por tudo, Siomara Poeta, pois nasceu assim.

siomarart@gmail.com

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s