s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Jorge Tannuri
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia
A HERICA SAPATADA

Ao fim dos seus ruinosos dois mandatos,
Resolve o abutre-mor inconseqente,
Chegar at Bagd, aonde seus atos
Deixaram morticnio deprimente...

Um jornalista adverso dos maus tratos
Impostos pelo biltre prepotente
No Iraque, direciona dois sapatos
E o chama de cachorro delinqente...

Na ofensa contra o norte-americano,
Mostrou-se bem herico o muulmano,
Embora fosse amarga a recompensa

Da sapatada, com priso, tortura,
Espancamento, abuso de censura
E desrespeito livre ao da Imprensa.

Soneto 4630 - Jorge Tannuri - 19 de dezembro de 2008.

GAZA

Que importa democrtica vitria
Obtida num pragmtico escrutnio,
Se um povo dizimado em morticnio
Por manu-militari peremptria?

Que importa Maom, no vaticnio
Da crena muulmana alcanar glria,
Se a vida do Hamaz merencria
Com Gaza no calvrio do extermnio?

Que importa existir ONU quando as guerras
Decretam-se, por ambies de terras
Tramadas pelos credos assassinos?

Que importa haver a Paz, se a humanidade
Condena morte e priva a liberdade,
Na ptria dos hericos palestinos?

Soneto 4635 - Jorge Tannuri - 31 de dezembro de 2008.

O VERO EIXO DO MAL

Um eixo, para o mal, antes citado
Por Bush, o criminoso costumeiro,
No seu papel de estpido guerreiro,
No teve seu perjrio comprovado...

Um vnculo deveras destinado
morte, se apresenta sorrateiro,
Com Tel-aviv e Washington, certeiro
Em dizimar quem seja de outro lado...

Na ONU com o seu poder de veto,
Os norte-americanos do concreto
Apoio contra a causa palestina

E as armas de Israel vo destroando
Escolas, hospitais, gente... em nefando
Terror que desacata a lei divina.

Soneto 4638 - Jorge Tannuri - 2 de janeiro de 2009.

GUANTANAMERA

Soneto 3817 Jorge Tannuri 25 de abril de 2006.

Guantnamo, presdio americano,
Na costa de pictrica baa
E encrave do permetro cubano,
Aonde prolifera a felonia

E o desrespeito hostil ao ser humano,
Com presos sem qualquer defensoria,
Mantidos sob o jugo de um tirano
Guerreiro, difusor da hipocrisia.

Recuerdos de cancin, Guantanamera,
Muchacha y linda flor de primavera,
Embrujo en un piropo arrebatado...

Guantnamo, que fuera la belleza,
Es hoy una mazmorra y fortaleza
Del extranjero infame y perturbado.


LARANJA SELETA

Soneto 3801 Jorge Tannuri 9 de abril de 2006.

Quando eras inda flor no laranjal, sedento
Olores pressenti de perfumosa sanja,
Mas mpetos frenei na frustrao do nanja
E a planta prosseguiu seu desenvolvimento...

Ests madura, igual dulcssima laranja
Seleta, com sabor de eflvio sumarento,
E fazes-me acender fogoso atrevimento
Na busca de emoes em que o prazer se esbanja...

Seleta seduo de exuberante vio,
Laranja, flor-mulher, entranhas que cobio
Nas doces libaes de h tempos esperadas...

Feliz maturao de mtuas gostosuras,
Nos gomos de ambrosia e gozos sem mesuras,
Em cada provao das nsias rebuscadas.

H...

Soneto 3850 Jorge Tannuri 24 de maio de 2006.

H rcordes de imposto arrecadado
E o povo sobrevive na inquietude...
H nulo atendimento na Sade
E o po de cada dia est minguado...

H tempos, o governo nos ilude,
Mentindo ser precioso o resultado,
Mas s num raciocnio retardado
Cai bem esta banal similitude...

H pntanos nos leitos das estradas,
H escolas que esto sendo abandonadas
E o ensino se degrada por inteiro...

H crime organizado e insegurana...
E diante desta homrica lambana,
Pergunta-se onde vai tanto dinheiro.


BIOGRAFIA
Jorge Tannuri nasceu em 19 de maio de 1939, em So Paulo e com a tenra idade de um ms de vida, veio residir no Rio de Janeiro, onde estudou e constituiu famlia.

Seus estudos de terceiro grau foram efetivados na ento denominada Escola Nacional de Engenharia da Universidade do Brasil, hoje UFRJ, aonde se formou em engenheiro-mecnico-economista em 1961.A especializao em Celulose e Papel Reciclado foi concluda na Frana em 1964.

A vida profissional desenrolou-se at 1997 e a partir de ento, incrementou um hbito que comeara tmido em 1976: o de compor sonetos.

J publicou 12 livros e 38 livretos, todos registrados na Biblioteca Nacional e tem um acervo muito grande de novas publicaes, pois hoje, 9 de maro de 2008, est completando 4449 sonetos.

Jorge Tannuri

jorgetannuri@superig.com.br

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s