s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

JOO PAULO DAS VIRGENS
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia

PARTIDA

Voa seus sonhos nas asas do vento,
que carrega seus desejos, impulsiona seus pensamentos,
e me trás a dor da saudade e a dor da sua ausência,
que correu atrás dos seus desejos, vôo em busca dos seus sentimentos,
e deixando sangrar a dor do coração em prantos,
que só sua presença pode trazer contentamento.

Triste fiquei!
Mas voa minha filha querida,
Busca seu espaço na vida e na história e trás consigo as dores e as glórias, que o destino te reserva.

Voa filha amada, percorre os caminhos da sua estrada,
não deixa transparecer a dor que, dura e amarga, transborda por estes
olhos que choram as lágrimas, que luto para segurar.

Voa meu anjo amado,

voa seu sonho sonhado, voa para a vida que é um jardim em flor.
Voa que nem borboleta, que mira o horizonte e vivendo a “borboletar”,
surge bela ao nascer do sol e brilha sob a luz do luar.

Voa minha Raissa linda,

para o seu destino encontrar, segura por Nossa Senhora e com o Senhor Jesus a lhe acompanhar.
Voa minha filhinha linda, que eu prometo, logo atrás, irei lhe alcançar.
Eu lhe amo.



Vilhena, 03 de fevereiro de 2008

++++++++++++++



DENISIANE FIORAVANTE
Homenagem a amiga e artista plástica

Eu sou poeta
Minha pagina em branco
È uma tela, minha pena são as cores
Minha inspiração esta na tinta e no guache.

Eu sou poeta;
Em busca da perfeita paisagem,
A natureza morta não me inspira,
Pois eu busco vida e qualidade.

Eu sou poeta
Pinto a Vida, a alegria e os amores,
Talvez abstrato, talvez impressione,
Mas o meu desenho colorido
Quero que a todos encante.

Eu sou poeta
Da vida,
Das cores,
Dos quadros,
Que de tinta alegre
Derramo alegria e
Da tristeza me separo.

Eu sou poeta
Observem bem
Minha poesia
Em cada quadro,
Em cada fantasia.

Minha rima são as cores
E a quadra simétrica em mim não existe
Eu sou poeta
A simetria esta no quadro.
A poesia esta na tela.

Vilhena, 02 de março de 2008



Biografía:
JOÃO PAULO DAS VIRGENS


Escrevia versos para as namoradas na juventude que encheram três cadernos. Mas chegando a Rondônia emprestei os mesmo a uma colega de trabalho que nunca mais foram devolvidos.

Ainda em Salvador escrevi uma peça de teatro, mas que nunca foi ensaiada ou lida por ninguém, que também perdi na poeira do tempo.

No primário, como aluno da rede publica de educação da Bahia [escola Nossa Senhora da Penha, em Salvador], ganhei na SELIBA [Semana do Livro Baiano] em 1969 medalha de ouro [cursava então a 4ª serie primaria] com um resumo sobre o livro de Monteiro Lobato a Chave do Tamanho.

Em 1970 fiquei com a medalha de bronze com um resumo sobre o livro de José Mauro Vasconcelos; Rosinha Minha Canoa.

Fiz teatro amador na Bahia com o presidente da Associação de Teatro Amador da Bahia

Com a peça o Poeta e a Mulata.

As mulheres rondonienses ou rondonianas que dediquei umas rimas, deixei-as com elas

e não tenho copias.

Ultimamente tenho dedicado alguma coisa as minhas filhas, a minha esposa, aos amigos e a minha querida Porto Velho e ao Estado de Rondônia. Sei que estou devendo algo a Vilhena, cidade tão bela que me acolheu e me nos últimos dez anos.

Em 2006, depois de ter entrado na faculdade pela quarta vez [Direito na Faro, História na UNIR, Administração na AVEC e finalmente Direito na AVEC] me bacharelei e no mesmo ano passei no exame da OAB.

Atualmente sem pressa de me aposentar como Policial Civil do Ex Território vou deixando registrado nas paginas dos amigos José Valdir Pereira www.josevaldir.com e de Selmo Vasconcellos, um pouco das minhas reminiscências e poesias.

joaodasvirgens@bol.com.br

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s