s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Lira Vargas [Cnsul - Maca-RJ]
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia
MUITO ETERNO

Como se fosse uma lua
Seus olhos caminharam em meu corpo
Como se fosse uma brisa
Seus braos aconchegaram meu abrao
Como se fosse uma noite
Envolveu-me na imensido do silencio
E como num mar azul
Navegamos no infinito secreto...
Num s amanhecer sereno
Como se fosse um raio do sol
Sua voz macia coloriu meu mundo
E numa madrugada, como navegante
Voc partiu para outro porto
E como se eu fosse eterna
beira de uma esperana
Fiquei esperando voc.

Lira Vargas

A LUZ DE SEUS OLHOS

Os dias de solido sem voc
No silncio da noite na escurido
A lembranas de seus olhos era a luz
Que me levava a caminhar at voc.
No frio da noite era a lembrana
de seu corpo que aquecia
meu corpo de menino.

A luz de seus olhos
A luz de seus olhos

Os dias de solido sem voc
O ar sem cheiro sem calor
A lembrana de seu corpo trazia seu perfume
Aquecia meu corpo e minha alma.
Oh! luz de seus olhos
Ah ! luz de seus olhos [murmrio]

Quando o sol abraava o dia
E a brisa leve da manh passeava pelo meu rosto
Ser que era a mesma que passeava seu corpo?
As lgrimas confundiam aquele lugar
E pensava que voc estava ali
E via a luz de seus olhos
E ... sorria de felicidade
At que voltava a realidade
E chorava de saudade.

A luz de seus olhos
A luz de seus olhos

Lira Vargas 20/10/2003

RIO DE JANEIRO DAS CHUVAS DE MARO.

Rio de Janeiro da boemia, poesia e inspirao.
Baia de Guanabara seio do mar, assim disseram os ndios.
Da praa Quinze, da Assemblia das leis, da Cinelndia dos sonhos e dos pecados.
Da Lapa, da Quitanda, dos Passos a Catedral do perdo.

Do Santos Dumont, o vo alto pelas matas da Tijuca , cruza Boas Vistas
No maracan, torcidas reunidas gritando ol!
Botafogo X Flamengo praia, time ou samba do Jobim.
Rio de Janeiro das praias de Copacabana, do Leme ao Arpoador.
Reunindo loiras, negras, galegas e morenas.
Deixando na histria a inspirao do poeta
Rio de Janeiro da Garota de Ipanema.

E no alto do Corcovado o Cristo de braos abertos sob nuvens, sol e luar.
Dizendo ao Rio de Janeiro: Ningum vai ao Pai se no por mim.
E o bondinho em descidas e subidas silenciosas,
Oferece aos turistas o Po de Acar: uma doce paisagem sem fim.

A gria que virou Barra, o sol doura as montanhas, no outono desse cu.
No setembro das flores, do fevereiro das baianas,
das 'Carmem Miranda' na passarela do samba.
Onde o povo vira artista e o artista vira povo
Os aplausos vibram os coraes, escancaram sorrisos sem fim.
Na platia que transforma o mundo em Sapuca.

Esse o Rio de Janeiro, da boemia, da poesia e inspirao.
Da favela, do choro da multido.
Que o sol aquea os coraes de lgrimas
Quando as chuvas de maro fecharem o vero
Lavar o borro dos maus tempos.
Para que o Rio de Janeiro a janeiro
Seja o Rio carioca de alegria e do povo.

Lira Vargas

MADRUGADA

Vem! A madrugada trouxe saudade de seus beijos
As folhas de outono fizeram tapete no cho
Vem1 a brisa soa como o choro dos amantes que se foram
A madrugada trouxe recordaes,
Vem, meu corpo conhece seu cheiro.
A brisa desfolhou a rvore que abrigou
Nossas juras de amor!
Vem, a folha no cho, so tapetes do outono.
Promessa de nova vida
A brisa chora como o choro dos amantes
A noite trouxe saudade!
Vem, prometo trocar juras de amor.
Como o outono promete novas vidas
Chora brisa
A madrugada sinal de saudade
O outono chegou nessa madrugada
De saudade
De saudade.

Lira Vargas

FOLHAS DE OUTONO

Amor, o cu est dourado, o cho est coberto de folhas
O outono chegou, prometendo vida
J estou com saudade de seus beijos

Amor o cu est dourado e sinto saudade
As folhas no cho esperam seus passos
Estou a espera de seu abrao
Para minha vida ter cores como as folhas
Do outono que promete vida.

O que fazer, se essa saudade como o outono
Vamos viver juntos, vamos ficar dourados
Como o cu do outono,
Como as folhas prometendo outras vidas.

Lira Vargas

ESTRELAS NAS ONDAS

Ah, se a noite fosse como o dia o sabor de seus beijos
seria mais longo
Fico a beira do mar pensando em voc
finjo que as estrelas esto prateando as ondas
A lembrana de seus beijos vem com a brisa do mar
Ah se a noite fosse como o dia
Sonhar acordado sem fechar os olhos

Ah! se a noite fosse como o dia no teria sono
Para no sonhar que ests longe
E ver estrelas de dia

E ver seu rosto nas ondas do mar
E ouvir sua voz na brisa que acaricia meu rosto
Fecho os olhos e penso
Ah! se a noite fosse o dia o sabor de seus beijos
Seria mais longo, e as ondas seriam prateadas
Porque pensando em voc meu amor infinito
Ah! se a noite fosse como o dia

Lira Vargas

CAMINHOS DE LEMBRANAS

assim, as flores perfumando o ar e meu corao to triste
Um avio corta as nuvens e os pssaros fogem
Caminhos se formam nas nuvens e formam seu rosto
As flores perfumam as nuvens, penso com saudade

Flores coloridas, amor, quanta saudade, caminhos de Rembranas
As ondas do mar formam caminhos de lembranas
Flores colorindo o ar trazendo saudade

Meu amor, estou nas lembranas, so me chamar
Porque voc tambm deixou saudade
E vejo no cu o caminho para de mo dadas
Viajar nas nuvens sem medo de cair, eu juro, vamos ser felizes
Sem medo de se perder, porque o cu lugar de amar
E o mar guardar o segredo desse amor

assim, um avio corta as nuvens fazendo caminhos
De lembranas, de sorrisos, de beijos e de saudade
As flores nos caminhos, meus passos perdidos
Saudade do perfume de seu corpo
Dos beijos molhados como as flores na chuva

Flores coloridas, amor quanta saudade
Caminhos de lembranas
No mar, nas nuvens, nos pensamentos
Caminhos de lembranas.

Vamos para o cu meu amor, l o caminho s nosso
Os pssaros cantaro para que nosso amor
Nunca, nunca se acabe.

Lira Vargas

OUTONO
[escrevi no outono de Danbory USA.] setembro de 2005

O vero aqueceu a terra, os rios e o mar,
iluminou as geleiras, aqueceu o ar.
Pintou o cu de mais azul, e as noites bordou de estrelas o firmamento,
a lua apareceu de vrias formas,
nova, redonda, cheia, iluminada, e brincou, mas de minguante? no tinha nada.
Nas matas, os pssaros cantaram,
brincaram e ganhavam das flores, o doce perfume de mel.
Agora a vez do Outono,
sua chegada lenta, elegante e como o pavo,
vem colorindo as folhas das rvores
para que as flores que se foram acalente os pssaros e a paisagem.
E em sua magnitude,
borda tapetes de folhas no cho,
e combinando com a brisa,
num espetculo misto de cores a cada manh.
Assim se faz presente as cores,
assim renova a vida, assim o outono aguarda o inverno,
e quando a neve chegar, embranquecer a matas,
afastar os pssaros, no passado as cores, no presente o branco.
As alegrias coloridas na lembrana,
e a paz do branco na esperana de novas estaes

Lira Vargas

ASSIM...

Amo-te, assim sem pedir nada.
Amo-te lembrando teus beijos
Teu sorriso, tua pureza.
Amo-te na tua calma, no teu apoio.
Na tua segurana
Amo-te nos desejos, nas carcias s escondidas.
No amor, no sexo as delcias.
Nos ais de amor, no suplcio.
Dessa saudade noite e dia
Amo-te mais que tudo
Mais que no mundo
Mais que mudo
Porque...Quero gritar
Quero ecoar esse amor jeitoso,
Amoroso, irracional, consciente.
Mistura de bicho e gente
Bicho pela natureza
Gente pela beleza
Amo-te imensamente.

Lira Vargas.

BIOGRAFIA

- Lira Vargas

Ing - Niteri - RJ.

Formao

Curso de letras \ Literatura em licenciatura curta
UCP-Universidade Catlica de Petropolis.

Profisso: empresria

Obras Publicadas

- Livro de contos; KTIA VOC NO MORREU
- Livro infantil JUJU E A GARGALHADA DO PALHAO ZIZO
- Ambos esto na Biblioteca de Danbory USA

- DO OUTRO LADA DA RUA argumento para o Festival de cannes

- Livro de poesias lanado em 1982;

- Coletnea de poetas no Rio de Janeiro, classificada e publicada duas poesias, em um livro de poemas;

- Varias publicaes : crnicas e contos no jornal de Petropolis, revista Stimo Cu da extinta Manchete, Jornal das Barcas, ltima hora, jornal da Asoec [atual UNIVERSO];

- Classificao em 04 festivais de poesias em colgios de Niteri , So Gonalo. E Petrpolis;

- Mais de 50 textos registrados e aprovados na SBAST [sociedade brasileira de autores teatrais]

Em Manaus:
- Publicaes de contos e crnicas nos jornais Critica , Amazonas Em Tempo, Jornal do Comrcio,
- produo de um programa local na Tv Amazonas, inclusive com realizao de entrevistas.

- Publicao virtual nos sites www.thebrazilian.com.br na seo 'A Tribo' jornal de
- Londres;
- www.grupomonaco.com.br
- www.saogoncaloonline.com.br crnicas
- www.paralerepensar.com.br
- www.usinadeletras.com.br
-
Frase

'A vida particular uma propriedade alheia'
.
Um poema:

No h retorno. 'Segue nordestino, na cavalaria da esperana... No h cavalaria de retorno' - do primeiro livro de poemas Pssaro Branco em 1980.

liravargas@email.com.br

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s