s
s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

JACIO DE OLIVEIRA CARLOS
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia

SÊMEN

Semente da vida e transcendência
ele se faz e se forma dentro do homem
pura e sem máculas...

passeia em constante procura
de óvulos ávidos de novas vidas
em semeaduras perenes e constantes...

líquido aquoso
precioso
de caminhadas em busca de encontros
secretos
em divindades...

o sêmen eclode
forte como um jato
de textura luzidia
para criar uma nova vida
e às vezes se frustra
em desencontros...

...mas vive sozinho também e não se perde...

e se encontra entre atos de amores
permanentes
e se completa...

meu sêmen encontra sempre hospedagem
no teu corpo
onde a sensualidade levar

e quando livre aporta noutros caminhos teus
esparramado
espalhado
diluído em mil partículas de emoções...

mas, um instante de glória o faz renascer,
o faz divino,
o faz amado com todas as forças
de um amor puro
e inesperadamente caminha
sobre a língua até a úvula
alojando-se no mais ardente
recanto de prazer

dentro de você:

ÊXTASE

Sobre a cama
uma silhueta morena debruçada
entre fronhas e travesseiros
mexe-se de forma sensual...

nas pernas entreabertas
passeio minhas mãos de cirurgião
no encontro de caminhos de pura lascívia
e ardentes desejos...

lentamente sobreponho
no vértice dos prazeres
meu beijo mais translúcido...

penetro meus tentáculos nessa colméia
de mel abundante
fluindo morno entre meus dedos
e a temperatura do corpo aumenta
enquanto sugo seus poros com minha boca
cheia de um doce / sal de suor
molhando o dorso em agonia...

sobre a cama uma silhueta morena
se contorce em gemidos
e o êxtase de um longo grito
faz-se ensurdecedor no ápice
desse instante de amor divinal...

lentamente espero essa viagem concluir-se
e retomo meu lugar
em repouso absoluto
enquanto nossos corpos adormecem
lado a lado:


SAUDADE

Mantenho, amor, tudo no mesmo lugar...

tua foto ao lado da minha,
teu sorriso aberto
e tua blusa amarela de láicra colante
com a mancha de suor
no ventre que tanto amei...

a pedra verde das minhas energias
e o copo dágua ao lado
para energizar essa moradia
que tem tanto de você...

mantenho tua toalha verde no banheiro
onde tantas águas nos banharam,
tantos champús ensoparam nossos cabelos,
tantos protex-cremes nos ensaboaram
e tantos beijos molhados nos excitaram...

mantenho, amor, tudo no mesmo lugar...

até teus chinelos verdes
cheios de flores campestres estão lá
pros teus passos macios...

até mesmo o vinho branco suave
que tanto gostas
e a mesma música
que tanto adoras...

tudo, amor, tudo
no mesmo lugar

até minha saudade fica perecível
sentindo a falta de você...

teus beijos ausentes me fazem mal

teus seios pequenos não saciam mais
nossos deleites...

choro muito, amor, choro covardemente

confesso:
não tenho coragem de te procurar;

não sei mais de você:

biografia:

JAÉCIO DE OLIVEIRA CARLOS


Jaécio de Oliveira Carlos é roqueiro, nasceu em Natal, na rua do Areal, Rocas, no dia 5 de julho de 1945, logo após terminar a segunda guerra mundial. Filho do marceneiro Antonio Carlos Filho e da administradora do lar, Francisca Carlos da Silva. Estudou no Colégio Salesiano, SENAC, Ginásio 7 de Setembro, Atheneu e fez até o segundo ano de administração de empresas no antigo IAGN - Instituto de Administração e Gerência do Nordeste. Passou 3 anos e meio morando no Rio de Janeiro onde estudou no MABE - Moderna Associação Brasileira de Ensino. Muita gente falava que MABE significava Mensalidades Adiantadas, Bons Exames. Voltou pra Natal e casou em 1968 com Ana Gomes de Macedo, antiga namoradinha do tempo do Senac e tiveram três filhos: Heyder de Macedo Carlos, Paulo Henrique de Macedo Carlos e Anna Claudia de Macedo Carlos. Os netos são Thiago Veloso de Macedo Carlos, filho de Heyder e Luiza Carlos Nascimento, filha de Anna Claudia.
Vida literária: lançou o primeiro livro em dezembro de 1977, Poemas de Cabeceira, resultado do terceiro lugar no concurso promovido pela prefeitura de Goiânia e a UBE/GO - União Brasileira de Escritores, seção de Goiás. Depois foi morar em Aracaju/SE onde lançou em 1989 o segundo livro de poemas: Circunstância, juntamente com o pôster-poema do mesmo nome. Na capital sergipana editou por durante 3 anos o suplemento literário do Correio da Manhã, Manhã Cultural, circulando todos os domingos.
De volta a Natal editou o Poti Informática - o primeiro jornal de informática do RN, encartado todos os primeiros domingos do mês no jornal O Poti; trouxe a Bienal Nacional do Livro para Natal em 2002, ocasião em que lançou o terceiro livro, Poemas Afins. Em 2005 lançou o livro de registros genealógicos Família Carlos, um trabalho que durou quase 4 anos para ser organizado. Atualmente é editor da Informática em Revista, publicação mensal que é a primeira revista de informática do nordeste.
Está com o livro Poemas Explícitos pronto para lançar em maio de 2008 no evento mundial de poetas. A capa e alguns poemas podem ser vistos e lidos neste blog.
Contatos podem ser feitos através do e-mail:

12/09/07

jaeciocarlos@hotmail.com

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s