s
s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Conceio Bernardino
Nacionalidad:
Portugal
E-mail:
Biografia

Crianças sem rosto

Quantas crianças no mundo esperam
Pelo pão da esperança,
Estendendo as mãos
À desbasta miséria, esperando
Apenas dela a sua sobrevivência.
Quantas são aquelas, que
Morrem sem conhecerem
Os horizontes ofuscantes da vida?
Tristes daqueles que nascem
Do ventre da desgraça que
Tanta pobreza lhes é oferecida.
Que liberdade é a nossa?
Que deixa a morte escrever
Na miséria os nomes dos pobres.

Fascinação

Que lindas!
Que belas!
As estrelas no céu sem fim!
Olho para elas
Elas para mim
Que lindas!
Que belas!
As estrelas no céu sem fim
Mas... é dia...
Ah, já sei!
Dormia...
Sonhei...
Mas... aquelas estrelas
Tão lindas
Tão belas
Que eu vi lá nos céus...
Estou a vê-las
Meu amor
Nos olhos teus!

Mulher

Quando me olho ao espelho
Vejo o meu corpo de mulher,
Tão frágil e subtil
Dispo-me da beleza
Cobro-me de inocência,
Quero voltar a nascer
Quero sentir de novo a fecundação
Ignorar o preconceito,
Voltar a ser um pouco de vida
No teu ventre de mulher
Ganhar a mesma forma
Delicada, ternurenta
Do teu seio que me amamenta
Na forma mais sedenta
O meu corpo é o teu corpo
Aquele que quis ter
Orgulhosamente
Nasci mulher!



biografia:

Conceição Bernardino

Técnica de Contabilidade, nascida a 1 de Fevereiro de 1969 na cidade do porto. Amante da escrita e das Artes.
Estudante no ensino nocturno em Contabilidade e Administração.
Sou amante das letras desde dos 17 anos de idade, poesia, prosa.
Adoro ler, viver, o sonho constrói-nos e arrebato em mim essa beleza.

\'Alguém que vai eternizar a vida à sombra das arvores, aprendendo a ouvir os que sofrem nos murmúrios das fontes\'

conceicao.mami@sapo.pt

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s
s