s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Mario Osny Rosa [Cnsul - So Jos - SC]
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia

QUEM É O HOMEM?


No entender de alguns filósofos
O homem é um animal social.
Que detesta seus semelhantes
Isso logo os torna anti-social.

Esse comportamento social
Está enraizado nas sociedades.
Em todos os cantos do mundo
Mesmo nesse terceiro milênio.

Mesmo nas sociedades mais antigas
Essa saga de detestar seus irmãos.
É mais violenta, mais sangrenta
Com essas armas modernas.

Crianças nascendo nesse clima
Seus brinquedos são armas.
Que matam seus irmãos
E daquelas mais modernas.

Buscar a PAZ nesse meio
Do mal que está enraizado.
Já é tarefa sem asseio
Difícil de ser modificado.

São José/SC, 26 de junho de 2.007.

Dedico essa Poesia ao poeta Luis Arias Manzo, o maior batalhador, pela Paz mundial, paz entre irmãos, nesse movimento com os Poetas del Mundo, numa união fraterna, num só pedido em coro de todos os poetas no I º CONGRESSO MUNDIAL DE POETAS DEL MUNDO SERÁ EM NATAL - BRASIL

Mário Osny Rosa

A MORTE DE UM POETA

Mataram o poeta
Depois fizeram a festa.
Soltaram balão
Queimaram rojão.

Que injusta satisfação
Queimar logo um irmão.
Que na luta pela cultura
Deixando-o na loucura.

Com a morte do poeta
Morre sua imaginação.
Nada mais na vida resta
No magoado coração.

Ele parou de lutar
Quedou na sua bravura.
Sua voz se calar
Só resta sua amargura.

São José/SC, 20 de abril de 2.006.

LAGRIMAS DE UM POETA

Enredado em suas idéias
Dando vida as matérias.
Correm lagrimas sentida
Do que ocorre na vida.

Lgrimas vão caindo
O papel vai molhando.
Continua chorando
O tempo vai-se indo.

Escreve e reescreve
Mostrando a sua verve.
O canto da cotovia
A sua dor alivia.

Lagrimas são de dor
Bem como de alegria.
Elas já nem tem cor
No mundo da magia.

São José/SC, 20 de abril de 2.006.

MENINO DA TERRA

Menino muito sapeca
Seria o menino Lukinha.
Que nada na vida tinha
Só vestia velha cueca.

Cheio de muitos mimos
Na escola tem aprendido.
Com todos os seus meninos
Por ser bem evoluído.

Vive no frio e no calor
Sempre de bom humor.
Sendo rico, sendo pobre ,
Se porta como um nobre.

Tem a esperança de um dia
De ser a grande alegria.
Dessa imensa família
Lutando numa olimpíada.

São José/SC, 13 de março de 2.006.

BIOGRAFIA DO AUTOR

Mário Osny Rosa nasceu em Don Luiza Município de Ituporanga, Santa Catarina em 1934. Concluiu o 3° ano primário na Escola Isolada Dona Luiza e o 4° ano no Grupo Escolar Santo Antônio em Ituporanga no ano de 1945. Até 1970 foi autodidata e estudou sozinho o curso eletrônica por correspondência. De 1970 a 1979 completou o Antigo Ginásio e o segundo grau no Supletivo. 0 prestou vestibular para a Faculdade de Ciências Contábeis da Fundação Educacional do Planalto Catarinense [FEPLAC] de Curitibanos, hoje Universidade do Contestado, concluindo em 1983, o Curso de Contador. Em 1984 prestou vestibular para Direito na Universidade Federal de Santa Catarina. Iniciou em agosto de 1984 colando grau em dezembro de 1989, especializando-se em Direito Tributário. Atuou na função de Técnico em Telecomunicações no Ministério das Comunicações de 1984 até maio 1998. De maio de 1998 a 2004, atuou como pesquisador e contador na Advocacia Geral da União em Florianópolis/SC.

http://www.mario.poetasadvogados.com.br

morja@intergate.com.br

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s